Neologismos e os Pensenes

Diversas vezes ouvi/li pessoas dizendo/escrevendo “pra quê inventar palavras para algo que já tem nome?” ou “ficam inventado palavras pra tornar o acesso ao conhecimento mais difícil” e é por isso que neste post explicarei o porquê da utilização de palavras novas, os chamados neologismos, para fatos, fenômenos ou idéias antigas.

Primeiro é preciso compreender que toda idéia (pensamento) está associada a uma emoção (sentimento) e esses dois elementos são impressos em uma quantidade de energia imanente (energia pura ou prana) transformando-a em uma energia consciencial (Chi ou bioenergia).

Sendo assim, todo pensamento vem carregado de uma emoção inseridos numa quantidade de energia. A esse desprendimento de energia consciencial deu-se o nome de pensene, que é um neologismo, unindo o pen de pensamento, o sen de sentimento e o ene de energia.

Uma palavra surge primeiro no pensamento e depois é exteriorizada através da fala ou da escrita. Ao pensar na palavra, ela já gerou um pensene, ou seja, uma carga energética com informações a respeito daquela palavra.

A forma de utilização dessa palavra ao longo dos anos irá formar um estigma, uma ferida na palavra, fazendo com que ela esteja tão enraizada que estará impressa no holopensene, ou egrégora, de uma região, estado ou país.

Esse estigma dificulta a conceituação e explicação de novas idéias ou de abordagens diferenciadas para idéias antigas pois causa um pré-conceito sobre a palavra, acarretando mecanismos de defesa do ego para rejeitar as explicações ou novas abordagens; ou mesmo trazendo toda a carga de pensamentos, sentimentos e energias já exteriorizadas para aquela palavra, acarretando certo mal-estar intelectual e energético, ao se utilizar a palavra tão desgastada pelo uso.

É por isso que faz-se necessário a utilização de novas palavras, os neologismos, para dar possibilidades de novas abordagens para temas antigos e reduzir a rejeição das Consciências no estudo e pesquisa dos fatos e fenômenos.

Você está aqui para Aprender, Ensinar, Ajudar, enfim, Evoluir.

Eu também. Todos nós estamos aqui para isso.

Estamos aqui renascidos, ressomados, encarnados, confinados no corpo físico para aprender, para desenvolver habilidades mentais, emocionais, energéticas e físicas. Para desenvolver nossas inteligências, para educar nossas emoções transformando-as em sentimentos mais elevados, e para desenvolver nossa capacidade de controlar nosso corpo energético, nosso holochacra.

Estamos aqui para ensinar o que aprendemos, o que já sabemos fazer, aos nossos semelhantes sobre as verdades relativas existentes no universo físico, não-físico e extrafísico.

Estamos aqui para ajudar os semelhantes que carecem de consolação, esclarecimento e exemplos positivos. Essa ajuda pode vir por meio de conhecimento, de doação de energias, doação de itens básicos para sobrevivência, de bons hábitos, de bons valores, de caráter e honestidade.

Tudo isso, aprender, ensinar e ajudar é o que nos levará inevitavelmente à evoluir. A alcançar patamares mais elevados na Escala Evolutiva da Consciência.

A conclusão é que teremos devemos alcançar o domínio de nossos veículos de manifestação consciencial (nosso holossoma), ensinar aos outros como se alcança esse domínio e no meio de todo esse processo, dessa jornada, realizar assistência a quem precisa.

Você veio do Extrafísico e vai voltar pra lá.

Eu também. Todos viemos de lá e iremos pra lá.

Extrafísico é o que está além do físico, é uma dimensão menos densa, é o mundo espiritual, no qual nos manifestamos em corpo astral, corpo espiritual, corpo extrafísico, corpo duplo, perispírito, segundo corpo ou psicossoma (tem muitos outros nomes, chame do que achar melhor).

Estávamos lá no extrafísico antes de renascer, ressomar, reencarnar (como preferir), planejando nossa existência terrena e os caminhos que tentaríamos percorrer para aprender a sermos Conciências melhores.

Foi na ressoma, no renascimento, que perdemos nossos Cons, nossa lucidez consciencial, nosso conhecimento de que somos mais do que esse corpo físico, que somos imortais e que nossas ações ecoam pelo infinito.

Assim que descartarmos este corpo físico, este soma, voltaremos para o extrafísico e esse momento é muito importante, por isso guarde estas informações:

Você é uma Consciência Imortal em constante aprendizado.

Você erra e acerta várias vezes em sua vida.

Não se culpe por isso.

Reconheça seus erros para que consiga não sofrer após a morte.

O inferno (e o céu) tal qual é descrito pelas religiões cristãs não existe.

Quando  você morrer, dessomar, só sofrerá se quiser (autoculpa) ou se causou muitos males a outras Consciências.

E por último:

Do lado de lá, no extrafísico, o que mais importa é o quanto de boas ações você realizou/realiza para outras Consciências tanto no extrafísico quanto no intrafísico (mundo físico).

Um abraço e até o próximo post!

Você é uma Consciência.

O princípio de tudo é você perceber exatamente isto:

Você é uma Consciência.

Eu também sou. Todos nós somos.

Você está além desse corpo, desse cérebro físico que está utilizando nesta vida. Quando este corpo for desativado, seja qual for o motivo, a Consciência (você) vai sobreviver.

Se você compreender isto, já será um grande passo.

A Consciência é a Alma, a Mente, o Ego, o Self.

A Consciência é o ser pensante que somos, é nossa individualidade.

Segundo o Aurélio OnLine, Consciência é “conhecimento, noção do que se passa em nós: ter consciência de seus deveres. / Percepção mais ou menos clara dos fenômenos que nos informam a respeito da nossa própria existência: perder a consciência”.

A palavra Consciência vem do Latim: com + scientia (conhecimento, sabedoria, saber) = com conhecimento/com sabedoria, ou seja, é tomar conhecimento de sim mesmo e do mundo ao seu redor, de perceber-se indivíduo no espaço.

Pra completar, Consciência, de acordo com a Conscienciopédia da Conscienciologia, é “o princípio individualizado e organizador do cosmos multidimensional“, ou seja, um ser que se percebe separado do restante do mundo e que influencia e modifica esse mundo em todas as suas diferentes dimensões.

Unindo os três conceitos fica claro e evidente que sermos Consciências significa termos conhecimento de que somos individualidades, percebendo, causando e alterando os fenômenos ao nosso redor, estejam eles em quaisquer das várias dimensões de nossa existência.

A Consciência é imortal.

Ao passo que o corpo físico se deteriora com o tempo e volta a fazer parte da substância que forma tudo no universo: energia, campo, prana ou fluido vital. Mas este é um assunto para outro post.

Por enquanto, entenda que você é essa Consciência imortal que vive, pensa e raciocina independentemente desse corpo físico.

Até o próximo post!

Recuperando Cons

Somos mais que meros corpos físicos. Somos Consciências em busca de constante aperfeiçoamento, seja do jeito fácil, seja do jeito difícil. Para facilitar nossa caminhada, precisamos recuperar nossos “cons”, nossa memória dos conhecimentos adquiridos nos milênios de vivências nas várias dimensões e nas várias vidas e entrevidas que vivenciamos.

O intuito desse blog será justamente esse: ajudar, a quem interessar, a recuperar cons, para que a trajetória dessa existência física momentânea possa ser mais proveitosa que as anteriores.

Conscientize-se da multidimensionalidade (múltiplas dimensões), da serialidade existencial (múltiplas existências) e da evolução consciencial (autodesenvolvimento) o quanto antes, para que não atravesse a vida sentindo desperdiçar oportunidades preciosas.

Meus sinceros votos de completismo existencial a todos vocês.